Expresso Mulher

Tudo sobre o mundo feminino você encontra aqui!

"Pavio curto" pode significar um transtorno

Foto de marcinha
  • TEI

Você tem ou já deve ter ouvido alguém falar que determinada pessoa tem o "pavio curto", certo? Esta é uma maneira de expressar que você ou aquela pessoa não é muito tolerante e que tem pouquíssima paciência.

Pessoas que tem o "pavio curto" normalmente sofrem com isso, porque além de não serem tolerantes com praticamente nada, ainda tem reações explosivas inesperadas diante de determinadas situações, o que pode ocasionar alguns problemas de relacionamento, seja este, no trabalho, em casa ou com os amigos.

Nós temos a mania de criticarmos pessoas que agem, digamos assim, grosseiramente, mas o que não sabemos é que as vezes, estas pessoas sofrem de Transtorno Explosivo Intermitente. (TEI)

Quem sofre com TEI tem dificuldades em se relacionar com outras pessoas, sendo em relacionamentos amorosos, familiar e profissional e claro, sempre estão na mira da discórdia. Além de acharem que o mundo todo está contra ele.

É muito comum quem sofre com isso sentir vergonha e arrependimento após a agressão feita após pouco tempo da mesma, afinal de contas, são indivíduos que não conseguem controlar os seus impulsos.

Podemos classificar o TEI em dois grupos:

  •  leve- acontece em média duas vezes na semana por no mínimo três meses. Neste caso, além de xingamentos, gestos obscenos e amelças, ainda pode haver agressão física, porém sem lesão corporal.
  •  severa- ocorre no mínimo três vezes ao ano. Quem está neste grupo pode chegar a destruir patrimônio e/ou propriedade e quando acontece a agressão física, existe a agressão corporal.

A pessoa com este transtorno nega a doença até o fim, porém após os exames necessários e com o resultado em mãos, dificilmente conseguirá negar o problema. O Transtorno Explosivo Intermitente também é conhecido como a Síndrome do Hulk. Preciso dizer mais alguma coisa?

Os indivíduos com TEI não conseguem controlar as explosões e a maioria diz que consegue perceber que vai explodir diante a situação, porque sentem formigamento, os olhos dilatam e parece que o sangue está fervendo. 

É importante dizer que muitas vezes, estas pessoas podem até ter a razão frente ao problema, só que a maneira de agir é totalmente impulsiva, não é nada premeditado. Na verdade, a intensidade da manifestação da raiva que é totalmente desproporcional ao fato que desencadeou a agressão.

Por exemplo, se você está dirigindo e sofre uma fechada (se você não tiver o transtorno), você pode xingar, mas não vai sair do seu carro e arrancar o motorista do veículo que te fechou. Esta atitude seria de um indivíduo com o TEI.

É uma situação muito complicada de cuidar porque estas pessoas acabam acumulando fracassos durante a sua vida, por perderem amigos, trabalhos, cônjuges e por poderem até estar comprometidos com a lei. Além de ter o transtorno, a pessoa ainda pode desencadear a ansiedade e interagir com alguns vícios, dentre outros agravantes.

Se você sofre com isso ou conhece alguém que tem este transtorno, procure um médico e/ou um psicólogo para uma avaliação.

Compartilhe:
Categoria: 
Marcinha Borba
Paulista, cirurgiã-dentista e pós-graduada em Periodontia. Apaixonada por sua família e amigos. Descobriu o prazer em escrever e compartilhar temas relacionados ao mundo feminino.