Expresso Mulher

Tudo sobre o mundo feminino você encontra aqui!

O que é a Síndrome do Peter Pan?

Foto de marcinha

Muitas pessoas crescem, mas só na idade porque continuam sendo um adulto adolescente.

Para algumas pessoas é legal se sentir sempre jovem, porém esta atitude pode trazer algumas consequências futuras.

A adolescência é considerada a fase intermediária entre a fase infantil e a fase adulta, onde ocorrem as transformações, descobertas, desafios e autoafirmação.

Esta síndrome atinge os homens e os que são diagnosticados com esta síndrome, são aqueles que não querem crescer, deixar de ser criança. Além de se sentirem jovens, ainda agem como tais. Você pode achar que é uma doença psicológica, mas até agora, não é considerada como tal.

Os homens que passam por isso, são ansiosos, tem medo do abandono e do fracasso e a sua principal característica é a irresponsabilidade.

Normalmente os homens que são acometidos por esta síndrome, estão acima dos 20, 30 anos. Segundo a psicóloga Neila Costa, "eles tem uma visão distorcida do que é o normal para a sua idade e não conseguem cogitar a hipótese de assumirem as suas obrigações da vida adulta".

Como são homens que se sentem e agem como jovens, não querem trabalhar, sair da casa dos pais, ter a responsabilidade de assumir uma família e normalmente, tem uma baixa auto estima. A psicoterapeuta Cecília Zylberstajn diz: "A super proteção gera pessoas mimadas e despreparadas, que acham que o mundo e as outras pessoas existem para servi-las. Quanto mais a família protege, mais está ajudando o filho a se tornar uma pessoa inapta para o mundo".

Os homens nesta condição, são acomodados, insatisfeitos, tem dificuldade para pedir desculpas, normalmente são rebeldes, só querem receber e nada de oferecer, dentre outras características. Resumindo, acham que o mundo gira em torno deles.

Uma pessoa muito famosa e que ficou conhecido por ter a " Síndrome do Peter Pan", foi o cantor Michael Jackson. Quem não se recorda do estilo de vida que ele tinha? Até hoje, não está comprovado se há cura para esta síndrome.

De qualquer maneira é indicado estabelecer limites e procurar uma terapia.

Compartilhe:
Categoria: 
Marcinha Borba
Paulista, cirurgiã-dentista e pós-graduada em Periodontia. Apaixonada por sua família e amigos. Descobriu o prazer em escrever e compartilhar temas relacionados ao mundo feminino.