Expresso Mulher

Tudo sobre o mundo feminino você encontra aqui!

Depressão pós-parto

Foto de marcinha

Muita gente pensa que depressão pós parto é uma coisa difícil de acontecer, já que, ser mãe é o que a maioria das mulheres querem. Só que as coisas não são bem assim.

Você ja sofreu com a depressão pós parto, também conhecida como DPP? Ou conhece alguém que sofre ou sofreu com isso?

A DPP é mais comum do que se pensa e atinge aproximadamente 20% das mulheres, mas você deve tomar cuidado antes de garantir que está com DPP. 

Quando a  mulher torna-se mãe, é mais do que natural que muitas coisas mudem na sua vida, inclusive o humor. A mudança hormonal é muito grande e por isso, alguns sentimentos podem passar a se destacar.  A tristeza muitas vezes, também passa a fazer parte do cotidiano da nova mãe e temos que convir que é muito difícil criar novos hábitos, só que quando esta tristeza e a falta de ânimo prolongam-se por mais de três semanas, é melhor procurar um médico.

A depressão pós-parto pode ser detectada pela própria mulher ou por alguém muito próximo á ela e é importante destacar que quanto antes se perceba o problema, melhor. E vale ressaltar que este problema pode aparecer logo após o parto ou até um ano após dar a luz, podendo durar meses ou mais de um ano.

Até hoje, não foi identificado nenhuma causa específica para a doença.

Algumas mulheres são mais propensas a sofrer com a depressão pós-parto e estas, são:

  • Mulheres que já tiveram depressão antes e/ou durante a gestação
  • Problemas financeiros e/ou familiares
  • Mães que tem dificuldade para amamentar
  • Mulheres que não tem o parceiro ou alguém de confiança por perto
  • Traumas antes e/ou durante a gestação
  • Problemas na gravidez e/ou parto anterior
  • Mães que tem um recém nascido com problemas de saúde

Alguns sintomas para DPP podem ser citados, como por exemplo:

  • Tristeza e desespero constante
  • Mau humor
  • Grande irritação
  • Falta de paciência
  • Vontade de chorar sempre
  • Cansaço
  • Perda de apetite
  • Medo de ficar sozinha
  • Ansiedade em relação ao bebê
  • Considerar o bebê um ser estranho
  • Pensamentos e sensações negativas em relação a mãe e ao bebê
  • Pensamentos e vontade de prejudicar o bebê
  • Ter vontade de morrer
  • Quando a mulher acredita ter perdido o controle da sua vida.

A depressão pós-parto não necessita nem de exames laboratoriais e nem de exames de imagens para ser detectada. Assim que o seu médico te der o diagnóstico de DPP alguns tratamentos podem ser indicados, assim como:

  • Medicamentos como os antidepressivos
  • Terapia hormonal
  • Psicoterapia

Como em muitos casos de outras doenças, a maior ajuda tem que vir de você. Tentar se auto ajudar é o maior passo para a cura.

Evite ficar cobrando demais de você; evite ficar só; pense em coisas boas e sempre que possível, tente afastar-se de pessoas e pensamentos que não sejam bons para este momento. Descanse o máximo que puder e sempre que o seu bebê dormir, tente dormir também.

Para quem pensa que a depressão pós parto não necessita de tratamento porque logo, logo passará, tenho que dizer que este, é um pensamento errado e que quando não tratada adequadamente, a DPP pode tornar-se uma psicose pós parto.

Lembre-se de que para o seu bebê estar e sentir-se bem, é necessário que você, mãe, também esteja e sinta-se bem.

Compartilhe:
Categoria: 
Marcinha Borba
Paulista, cirurgiã-dentista e pós-graduada em Periodontia. Apaixonada por sua família e amigos. Descobriu o prazer em escrever e compartilhar temas relacionados ao mundo feminino.