Expresso Mulher

Tudo sobre o mundo feminino você encontra aqui!

Amamentação: peito ou mamadeira?

Foto de marcinha

Uma das grandes questões entre as mulheres que querem ser mães, é o fato de amamentar no peito. Pode até parecer bobeira, mas não é não.

Amamentei o meu filho no peito e hoje, estou amamentando a minha filha também e na minha opinião, não há coisa melhor. Não só pelos benefícios do leite materno, como também pelo lado afetuoso entre a mãe e a criança.

Apesar de eu defender a amamentação no peito, respeito as mulheres que não querem passar por isso. Seja por não querer sentir dor (muitas mulheres dizem sentir), ou para que os seios não caiam (muitas defendem esta tese) ou por qualquer outro motivo.

Não vou dizer que é fácil acordar durante a madrugada para amamentar, ainda mais no frio, mas faz parte. É uma tarefa que não pode ser realizada por outra pessoa, mas quando você pega a criança e esta começa a mamar, você percebe o verdadeiro sentido daquele momento.

Amamentar no peito é uma das coisas que a mãe já pode sentir antes mesmo de amamentar, propriamente dito.

Quando a mulher está grávida não é difícil de ouvir relatos de que mesmo antes de dar á luz, o leite já saiu dos seus seios. Neste caso, não é propriamente o leite e sim, o colostro. O colostro é um líquido viscoso que pode ser apresentado na cor amarelada ou esbranquiçada.

A produção de leite em grande quantidade só começará após mais ou menos 48 horas do nascimento do bebê.

A Organização Mundial da Saúde recomenda que os bebês sejam alimentados somente pelo o leite materno até os seis meses de vida e após este período, que seja acrescentado também outos tipos de alimentação e isso não é por acaso. O leite materno contém cerca de 250 substâncias de proteção ao bebê. É rico em nutrientes e anticorpos que passam da mãe para o filho. É um leite composto por tudo o que o bebê vai necessitar para crescer forte e saudável.

Pode-se dizer que existem quatro fases do leite e estas, são:

  1. colostro (rico em minerais, proteínas, vitaminas, água, anticorpos, gorduras, imunoglobulinas e lactose). O colostro ajuda a eliminar o mecônio, que é a primeira fezes do bebê e dura até o décimo quinto dia.
  2. leite anterior (rico em água e açúcar).
  3. leite de transição (possui menos imunoglobulinas, porém aumenta o nível de gordura e açúcares).
  4. leite maduro (é composto por vitaminas, ferro, zinco, cálcio, proteínas, carboidrato, gorduras e minerais).

O Ministério da Saúde enfatiza que o Brasil é referência mundial quando trata-se do alitamento materno.

Se você acha que a sua produção de leite é pouca, procure um profissional da área para uma avaliação. Agora, se você acha que o seu leite é fraco e por isso, não sustenta o seu bebê, pode ficar tranquila! Já está comprovado que não existe leite fraco!

Quanto menos o bebê mamar, menos leite a mãe terá, desta maneira é importante que a mâe fique tranquila e que o bebê consiga abocanhar da forma correta os seios.

Ás vezes, a mãe amamenta por cerca de uma hora o bebê e logo após colocá-lo no berço, pronto! Começa a choradeira, quando não, o pediatra ainda fala que a criança não ganhou peso e daí sim bate aquele desespero na mãe. Se isso ocorrer, verifique se o bebê está conseguindo abocanhar corretamente o seio e/ou se a criança não está fazendo do seio, uma chupeta.

É importante que a mãe deixe esvaziar toda uma mama para depois oferecer a outra ou esperar que o bebê sugue por aproximadamente 15 minutos cada mama, caso o contrário, corre-se o risco da criança só sugar o leite anterior, que é rico em água e desta forma, a criança não conseguirá sentir-se saciada.

O leite materno também é vantajoso por ser prático, econômico, além de estar sempre pronto.

As vantagens não são só estas. Para a mulher também há outro benefício. Com a amamentação, o útero recupera o seu tamanho normal mais rápido, além de reduzir o risco de hemorragia e do aparecimento de câncer de mama e ovário.

Existem mães que dariam tudo para amamentarem no peito, mas infelizmente, por qualquer que seja o motivo, não podem.

Se você é mãe ou está preparando-se para ser, pense direito sobre o aleitamento materno antes de não querer amamentar no peito. Dê esta oportunidade a você e a criança.

Compartilhe:
Categoria: 
Marcinha Borba
Paulista, cirurgiã-dentista e pós-graduada em Periodontia. Apaixonada por sua família e amigos. Descobriu o prazer em escrever e compartilhar temas relacionados ao mundo feminino.